20090715

Sem Usinas, Cem Árvores

Sem mãos justapostas
Sem corpos ajoelhados
Sem hinos nem bandeiras
Sem dorsos encurvados
Sem a presença do estado
Sem o consentimento dos parlamentos
Sem olhos devotados à imagem
Sem sonhos de consumo
Sem a aprovação da academia
Sem nota fiscal
Sem submissão ao capital
Sem vontade de poder
Sem a mediação das máquinas
Sem as cercas das nações
Sem identidade social
Sem palavras envenenadas
Cem palavras fecundas
Cem vontades de liberdade
Cem vozes elevadas
Cem versos malditos
Cem ângulos de verdade
Cem olhos visionários
Cem mãos desarmadas
Cem bocas escancaradas
Cem corpos que amam
Cem baleias que sobreviveram
Cem florestas sagradas
Cem horizontes para celebrar
Cem pratos de comida
Cem crianças selvagens
Cem estradas para a realidade
Cem terroristas iluminados

Que o Caos esteja conosco...!

CCP

2 fractais do consciente coletivo

Jéssica disse...

cem medos sem respostas. fato!

Maria Geovana disse...

Sem%

Postar um comentário